Skip Navigation Links
Novas Tecnologias
Ferramentas Adicionais
Ferramentas Adicionais
10 Dicas Para Estudantes
Data:4/4/2009

Translate this page now :





Categories: Tecnologia , internet , Educação

Gostou do texto ? Vote e dê sua opinião! Pontuação atual :
3
Adicione aos Favoritos!
BlogBlogs Rec6 Linkk Ueba Technorati Delicious DiggIt! StumbleUpon

Veja Também


j0414079 Estudar, aprender algo novo, pode ser muito mais complexo do que aparenta. Os mecanismos de aprendizado de um adulto são muito complexos e envoltos por toda a camada de suas experiências pessoais que podem gerar diferentes dificuldades para o aprendizado.

Escrevi então algumas dicas, baseadas em minha experiência, para todos que deseja enfrentar uma sala de aula :

1) Pergunte

Não guarde dúvidas, pergunte, o instrutor está ai para isso. Se você não entendeu algo, o instrutor é que não conseguiu explicar de forma totalmente clara, a pergunta é fundamental para que o instrutor possa completar a explicação.

Especialmente em treinamentos curtos, cada tópico é pré-requisito para os seguintes, então uma dúvida em um tópico pode fazer com que você não consiga entender nenhum dos tópicos seguintes até um ponto em que o instrutor não conseguirá mais ajuda-lo. Por isso a pergunta é fundamental no momento certo, no momento em que a explicação foi feita e não compreendida.

2) “Não entendi nada” não é pergunta

Quando um aluno diz “Não entendi nada” o máximo que um instrutor poderia fazer seria repetir toda a explicação, mas o fato é que em 99.9% das vezes o “Não entendi nada” não é verdadeiro.

Você, aluno, pode ter se perdido em algum momento da explicação, em alguma parte da explicação e até ter a frustrante sensação de não ter entendido nada. É fundamental para o instrutor, porém, saber exatamente em que ponto da explicação você se perdeu, onde foi que você começou a não entender o que era dito, para que então sim o instrutor possa reformular aquilo que foi inicialmente explicado e não repetir a explicação inteira – o que a principio seria inútil, já que se não entendeu da primeira vez, ouvir novamente a mesma coisa não ajuda.

3) A explicação é o clímax do seu filme preferido

j0430490 … e não a hora do intervalo em que você pode ir ao banheiro, comer pipoca ou conversar no MSN.

Não crie a ilusão de que uma explicação perdida possa ser compensada com exercícios – pratica e teoria funcionam casadas, não separadamente.

Acrescente a isso o fato de que após o treinamento você frequentemente ganha a sensação de “já sei isso”, então uma explicação perdida irá gerar uma deficiência técnica que poderá persegui-lo durante anos

4) Pergunte “Para que ?”

Nunca se deixe ficar com a sensação de que algo não tem propósito. Toda explicação passada em sala de aula – especialmente em treinamentos curtos – tem um objetivo de ser. Se você tem dúvidas sobre o objetivo, isso prejudica muito o seu aprendizado, o melhor a fazer é imediatamente perguntar ao instrutor “Para que eu preciso saber isso ?”

Caso o instrutor tenha dificuldade de responder, comece a pensar em trocar o instrutor.

5) Seu objetivo é aprender

Um dos piores alunos que normalmente aparecem em sala de aula são os alunos que estão no treinamento para conseguir fazer “xpto”. Quando isso acontece, o aluno não consegue se focar em nada que não esteja diretamente ligado a “xpto” (e a avaliação do aluno sobre “diretamente ligado” normalmente está errada) e o aprendizado acaba sendo totalmente falho, o aluno não conseguirá nem mesmo fazer “xpto”.

Imagine um analfabeto que deseja ler uma página em um jornal. A situação de um aluno entrar em uma sala de aula para apenas querer fazer “xpto” é igual a um analfabeto recusar-se, durante o processo de alfabetização, a aprender qualquer palavra que não esteja na folha de jornal que ele deseja ler – ambas as situações são equivalentes em termos de absurdo e impossibilidade.

Quando um analfabeto aprende a ler, mesmo que o objetivo inicial fosse um jornal, as possibilidades que se abrem são inúmeras. O mesmo acontece com um aluno em um treinamento.

Perguntas sobre tópicos que ainda serão mostrados, falta de atenção aos tópicos mostrados e perguntas complexas fora do escopo do treinamento são apenas alguns sintomas deste problema.

Se não consegue se focar em aprender, ao invés de apenas em fazer “xpto”, o melhor é contratar alguém para fazer “xpto” para você, vai sair mais barato.

6) Não peça definições, crie definições

j0438487 É extremamente brochante para o instrutor quando, após passar inúmeros minutos explicando “xyz”, um aluno pergunta : “Mas o que é mesmo xyz, para que eu possa anotar aqui ? “

Após uma explicação, o próprio aluno precisa ser capaz de criar a definição sobre aquilo que foi explicado, no exemplo, “xyz”. O fato da definição ser precisamente igual a um “padrão” não importa, afinal, “toda unanimidade é burra”. Se você, aluno, não conseguir escrever sua própria definição do que foi explicado, então deixou de entender algo e é fundamental que faça as perguntas ao instrutor.

Mesmo que o instrutor lhe dê uma definição, de nada adiantará, pois serão palavras vazias que você tentará decorar, porém em nada isso vai ajudar você a realizar seu trabalho no dia-a-dia.

Crie suas próprias definições e consulte o instrutor se a definição está correta. É extremamente gratificante para um instrutor ver um aluno criando sua própria definição daquilo que foi explicado, independentemente de sair certo ou não.

Não se preocupe se o instrutor complementar ou corrigir sua definição explicando-lhe melhor o significado de alguma palavra ou termo, isso apenas ajuda a ter um melhor aprendizado. Porém, se o instrutor insistir em que sua definição seja absolutamente igual a dele sem explicar porquê, comece a pensar em trocar de instrutor.

7) Memorização não é aprendizado

Muitos estudantes acreditam que só conseguem aprender algo quando escrevem repetidamente aquilo que viram.

Isso é um grande engano. A escrita gera um processo de repetição que gera memorização, não aprendizado. É equivalente ao processo de memorização de uma frase ou uma letra de música, por exemplo, mas de forma alguma significa aprendizado.

Um exemplo : Provavelmente você lembra dos primeiros versos do hino nacional, porque memorizou. Porém, se eu perguntar para você “Quem ouviu ?” será que você vai acertar a resposta ? Quantos segundos levará para responder ?

Esse exemplo do hino nacional demonstra claramente a diferença entre memorização e aprendizado, sendo que este é um exemplo “inocente”. Os treinamentos técnicos de hoje precisam preparar você, aluno, para utilizar o conhecimento transmitido em sala de aula de inúmeras formas possíveis, a simples memorização não levará a lugar algum.

Portanto preocupe-se preimeiro com a compreensão do que está sendo explicado. A compreensão já é, por si só, um grande processo de memorização. Apenas depois de compreendido o assunto preocupe-se em memorizar, mas faça isso de forma secundária, até mesmo fora de sala de aula.

8) Copiar não é aprender

O fato de você conseguir seguir um “passo-a-passo” e fazer com que seu exercício prático funcione não significa que você tenha aprendido aquilo que está sendo demonstrado. Seguir um “passo-a-passo” é como uma cópia, um procedimento mecânico, o “passo-a-passo” não estará disponível quando precisar realizar as tarefas no ambiente de trabalho.

Quando estiver realizando um exercicio, cabe a você ter a certeza de que entendeu cada detalhe que está sendo realizado no exercício ou perguntar ao instrutor tudo aquilo que não houver entendido com perfeição. Só assim poderá ter o melhor aprendizado possível.

9) Extrapole o que é mostrado

Two young girls working on a laptop in the classroom Não se deixe ficar preso aos exemplos práticos que são mostrados. Especialmente em treinamentos técnicos o objetivo principal é que você compreenda os conceitos e possa aplicar esses conceitos em inúmeras situações diferentes que surgirão durante seu dia-a-dia.

Se um exercício mostra como fazer “x”, não significa que o objetivo do exercício seja que você faça “x” no seu dia-a-dia, mas sim que você compreenda os conceitos que levam ao “x” para que utilizando os mesmos conceitos possa chegar a “y” e “z”.

É muito importante que tenha isso em mente durante os exercícios, ao avaliar se realmente teve a compreensão necessária dos exercícios mostrados, conforme citado no item 8.

10) O treinamento não acaba na sala de aula

Especialmente nos treinamentos atuais, com carga horária restrita e sobre tecnologias muito amplas, o treinamento não pode acabar em sala de aula.

É muito importante que após cada aula do treinamento você pesquise mais em casa sobre os assuntos que foram vistos. A cada assunto mostrado durante um dia de treinamento, você poderá encontrar inúmeros truques e diferentes formas de implementação, complementando em muito o seu aprendizado.

É uma grande satisfação para o instrutor descobrir na aula seguinte, ao conversar com os alunos, que estes aprenderam bem mais do que foi ensinado e trouxeram a ele dúvidas adicionais sobre os tópicos mostrados.



Categories: Tecnologia , internet , Educação


Nome :
E-mail:
Comentarios :
 
 
Os Últimos Comentários
data: 1/31/2017 11:07:00 PM
nome: xTerWwORIZdHftuL
email: derby451@hotmail.com
comentário:
oAVwoy http://www.y7YwKx7Pm6OnyJvolbcwrWdoEnRF29pb.com

data: 1/31/2017 10:40:00 AM
nome: qinvaPmUdwc
email: derby451@hotmail.com
comentário:
ABXejH http://www.y7YwKx7Pm6OnyJvolbcwrWdoEnRF29pb.com

data: 1/29/2017 10:07:00 PM
nome: EPIlDQJYmqrBlWMH
email: derby451@hotmail.com
comentário:
SEaZ7W http://www.y7YwKx7Pm6OnyJvolbcwrWdoEnRF29pb.com

data: 1/29/2017 9:06:00 PM
nome: IKnaOGBkjByyEhUp
email: jogcbfn@hotmail.com
comentário:
yij6lM http://www.y7YwKx7Pm6OnyJvolbcwrWdoEnRF29pb.com

data: 1/29/2017 7:57:00 AM
nome: IAbVUuOUJItENZJB
email: jogcbfn@hotmail.com
comentário:
azefEG http://www.y7YwKx7Pm6OnyJvolbcwrWdoEnRF29pb.com

 1  
Dicas
Dica do Dia
Receba Dicas Por Email
E-mail :  
 


 (help)
Aceito receber informativos do devASPNet, informações de eventos e treinamentos

Veja Quais Informativos Você Receberá

Pesquisar Dicas
Pesquisar Artigos, Dicas e Noticias

Banco de Dados
Algumas Entrevistas
Links Importantes

Búfalo Informática, Treinamento e Consultoria
R. Alvaro Alvim, 37/920 Centro - Cinelândia - Rio de Janeiro Cep: 20031-010
Tel : (21) 2262-1368 (21) 9240-5134 E-mail : Contato@bufaloinfo.com.br